Hoje eu queria te dar

Hoje eu queria te dar.

7

Não, não quero fazer amor, obrigado. Quero uma boa e verdadeira foda. Preciso levar uma surra de sexo. Daquelas em que a gente sai dolorida, porém satisfeita. Cansada, mas leve. Estou com vontade de me perder e não mais me encontrar, de gritar sem me preocupar se estou sendo ouvida. Tudo isso para acender um cigarro de liberdade, dormir o sono do gozo, relaxar após o orgasmo.

Quero dar com vontade, abraçar o teu membro com força e calor. Aquecer teu corpo, compartilhar o suor, transgredir o óbvio, lubrificar a alma, invadir o teu senso de racionalidade. Na hora H, não há espaço para a razão. O tesão é passional.
5
Preciso dar de uma forma violenta, afinal a dor e o prazer são parceiros sexuais e eu adoro participar dessa orgia de sensações. Mordidas, puxões de cabelo e até uns tapas são permitidos. Não há limites para gozar e eu quero mais, exijo a felicidade para o meu corpo.
Vou dar durante horas. Não irei abandonar a pele daquele homem, sem a garantia do meu riso de alívio, sem deixar marcas do meu néctar de prazer por toda parte, sem que ele leve daqui o meu gosto na boca. Vou dar meu amor, minha vontade, minha língua e meu sexo. Vou me entregar por inteira, pois só assim, serei eu mesma.
Vou dar aquilo que é teu, que já conquistaste, já dominaste. Me pega, me bate me xinga e me ama. Me usa, me joga, me fode. Me morde, me beija, me ganha. Não quero suavidade, preciso de intensidade. Não me venha com romantismo, estou louca é pelo fogo da carne, pela paixão na pele.
Quero dar de quatro, de pé, por baixo, por cima, de lado, sentada. Quero ser tua e quero te comer. Degustar cada parte do teu corpo, lamber cada gota do teu prazer. Quero dar, para lembrar como sou feliz e também para esquecer de como é triste a vida sem teu cheiro. Não, não quero libido sem pecado, gosto mais do proibido. E não me venha com amor consumado, transa com meias ou pudor no lugar de malícia. Entenda que minha necessidade rima com liberdade.
8
Preciso me dar esse presente.
Quero te dar.
Beijo, te amo
Fotos: SwannSong’s Erotica
Fonte: Chico Garcia

Entrevista com o clitóris

8

Falamos com o único órgão humano dedicado única e exclusivamente a dar prazer, e que é exclusivo do gênero feminino

Apesar de ter um nome universal, o mesmo em quase todas as línguas, esta parte da anatomia feminina tem sido a grande desconhecida; e é até mesmo perseguida culturalmente. Por estar parcialmente escondido, o seu protagonismo tem sido menor que o de seu homônimo masculino, o pênis. Contudo, o clitóris parece disposto a fazer-se ouvir e a conquistar o seu trono. A indústria dos brinquedos eróticos começa a considerá-lo e, recentemente, a ciência permitiu que o visualizássemos em toda a sua extensão e em 3D. Agora que o universo catódico nos deu uma lição de história sobre a importância do orgasmo clitoridiano (graças a Virginia Johnson e Bill Masters em Masters of Sex), conversamos com o clitóris para averiguar um pouco mais sobre este grande desconhecido.

Você é o único órgão humano encarregado única e exclusivamente de dar prazer e, no entanto, não tem sido reconhecido como merece. Isto é mais uma prova da tendência masoquista do ser humano?
O pênis tem muitos monumentos, uma corrente artística, quase um gênero — o fálico. A mim, foram feitas poucas estátuas, e deveria ser exatamente o contrário. O meu trabalho é totalmente altruísta e desinteressado. E, apesar disso, sou também o único órgão que deve pedir asilo político. Em alguns países cortam-nos a cabeça, e isto as próprias mães fazem com as filhas. Imagine-se um lugar onde fossem cerceadas as orelhas às crianças ao chegarem à puberdade! Seria uma loucura, mas com a gente continua acontecendo.

9

Imagino-o ressentido com a vagina, que lhe tirou ao longo da história todo o protagonismo…
O que se pode esperar de uma sociedade tradicionalmente machista e puritana?! A penetração vaginal tem uma função reprodutora, e a ordem durante séculos foi “crescei e multiplicai-vos”. Eu, ao contrário, não trago filhos ao mundo. Muita gente ainda identifica o órgão sexual masculino com o pênis, e o feminino com a vagina. Mas não, senhor. Sou eu. A vagina é muito menos sensível. Quando ainda ouço a diferença entre orgasmo vaginal e clitoridiano, começo a rir. Todos os orgasmos passam por mim. Os da vagina não são senão uma estimulação indireta da minha pessoa. Poder-se-ia dizer que sou como um iceberg, mostro apenas uma parte muito pequena de mim, a outra se ramifica por toda a pélvis.

E o que me diz do famoso ponto G?
Sim, vá lá, montou-se um marketing com esse halo de mistério que o rodeia e que flutua entre a realidade e a lenda. Mas a cada dia nascem mais pontos, o A, o U. Todo um alfabeto. De minha parte, vejo o ponto G como um plano B. Não é senão uma estimulação indireta de mim. A ciência ainda tem muito a descobrir a respeito. Ultimamente, começa-se a falar do complexo uretra-clitóris-vagina, uma zona de estimulação erótica e sensorial muito potente que ainda está por descobrir.

10

Os orgasmos que algumas mulheres podem experimentar manipulando os seios também passam por você?
Sempre se falou de uma ligação entre o mamilo e o clitóris, um fiozinho que une esses dois pontos e que algumas mulheres conhecem tão bem. Especialistas da Universidade de Rutgers, nos EUA, criaram em 2011 um mapa cerebral do prazer sexual feminino. Através de escâneres, os pesquisadores puderam identificar as áreas do cérebro implicadas na excitação dos genitais femininos. Os resultados, publicados no Journal of Sexual Medicine, revelaram que a estimulação do clitóris não é a única que ativa o córtex sensorial, como se pensava, mas que estimular a vagina, o colo do útero ou os mamilos também desencadeia respostas cerebrais. O biólogo Barry Komisaruk, principal autor do estudo, explicava ao diário argentino Perfil: “O inesperado foi que a autoestimulação do mamilo ativa as mesmas áreas cerebrais que a região genital anima”. O que explica que algumas mulheres possam chegar ao orgasmo somente com a masturbação dos seios.

A ciência não esteve muito interessada em você ao longo da história; de fato, sua anatomia completa foi vista pela primeira vez em 1998, graças aos estudos de imagem por ressonância magnética realizados pela uróloga australiana Helen O’Connell.
E faz somente quatro anos que os pesquisadores franceses Dr. Odile Buisson e Dr. Pierre Foldès criaram a primeira ultrassonografia completa em 3D do clitóris estimulado. Eu digo que nunca houve lá muito interesse em mim. Freud afirmou que eu era um pênis inacabado, e que a mulher que experimentava prazer apenas comigo não havia madurado o bastante. Só em minha parte externa possuo umas 8.000 terminações nervosas, o dobro que as do pênis, e estas se comunicam com mais outras 15.000 na região pélvica.

11

Entretanto, os estudos de Masters e Johnson deram-no a conhecer ao grande público, e até contribuíram para desenvolver um novo tipo de feminismo.
Sim, eles descobriram uma sexualidade feminina independente do coito com os homens. Os achados científicos sobre mim demonstravam que se podia prescindir do homem. “Com frequência a mulher não fica satisfeita com uma única experiência orgástica”, disseram Master e Johnson em seu livro A resposta sexual humana. As feministas mais radicais ficaram bem contentes com esses descobrimentos porque demonstravam a superioridade sexual da mulher, a qual, além de tudo, era multiorgástica. Enquanto isso, os conservadores viam o orgasmo clitorídeo como uma ameaça à heterossexualidade. Sem ir tão longe, nem ser tão apocalíptico, a verdade é que, graças a esses descobrimentos, muitas mulheres reformularam suas relações sexuais e começaram a tomar as rédeas de sua vida erótica. Posso presumir a minha contribuição ao feminismo.

Diz-se que você que aguenta melhor o passar do tempo que o pênis.
Muitas mulheres experimentam a sua plenitude sexual na maturidade, aos 40 e tantos, mas não é de todo certo que eu aguente o tempo tão bem. O meu mecanismo é muito similar ao do órgão masculino. Tenho ereções e ejaculo — às vezes da maneira masculina — e, como o pênis, sou um corpo cavernoso, e afetam-me a hipertensão e a diabetes. Os anos não me favorecem; o que ocorre é que muitas mulheres me descobrem tarde, e só então começam a me disfrutar, a viciar-se em sexo e a tentar recuperar o tempo perdido.

20

E o que me diz da sua fama de lento, de necessitar de mais tempo, de que se doure mais a pílula para começar a se pôr a trabalhar?
O que demora mais: fazer um frango empanado villeroy ou colocar uma pizza pré-cozida no forno? As coisas boas se fazem esperar, e o que chega rápido se vai ainda mais depressa. De todo modo, isso também é um mito. Um estudo realizado pela Universidade McGill, de Quebec, no Canadá, dirigido pelo Dr. Irv Binik, demonstrou que não existe diferença na quantidade de tempo que ambos os sexos requerem para alcançar o seu máximo nível de excitação. Binik e a sua equipe valeram-se da termografia, medindo a radiação, em termos de temperatura, que emitiam os genitais dos sujeitos da pesquisa enquanto contemplavam diferentes imagens, pornográficas ou não. Tanto os homens quanto as mulheres começavam a sentir excitação nos primeiros 30 segundos. Isso demonstra que, se estimulada adequadamente, a mulher pode chegar ao orgasmo tão rápido quanto o homem, mas, realmente, interessa correr tanto?

O problema parece ser que você é bastante esquisitinho, e encontrar o que lhe apetece não é tão fácil.
O que tem havido é muita incultura e desconhecimento. Se até muitas mulheres não estão muito familiarizadas comigo, que vamos pedir aos homens? Há aqueles que me ignoram totalmente e se dedicam a fazer espeleologia vaginal. Há os que, tão logo me veem, arremetem contra mim sem piedade e de forma bruta, isto me assusta e me retraio, pois sou bastante tímido. Abundam os que se creem especialistas com a boca e, em vez de lamber-me com cuidado, parece que estão fazendo a minha ablação. E depois estão aqueles que sabem me satisfazer, ainda que não se possa dizer que sejam uma legião. Peço apenas um pouco de tato e delicadeza, mas aí novamente criaram de mim uma fama que não mereço, a de não-me-toques. Como se o pênis também não tivesse os seus rompantes e os seus fracassos.

7

Como se deve tratá-lo então, para que se sinta à vontade?
Como merece uma parte da anatomia tão delicada e sensível. Para estimular a mulher, há que se começar a tatear as zonas erógenas secundárias, para em seguida ir às primárias. Uma vez na zona genital, eu devo ser o último a tocar. Deve-se iniciar pelo monte púbico, lábios maiores, menores, o espaço entre eles, para depois começar a tocar-me, primeiro indiretamente e, após, já diretamente. Às vezes será preciso retirar um pouco o capuz que me cobre. Gosto das lambidas e das sucções, mais lentas ou rápidas, e intercalando o ritmo. Cada mulher tem as suas preferências. Algumas vezes, abordar-me pela retaguarda é mais prazeroso que de frente. E uma ducha, bem dirigida, pode ser muito estimulante.

Tenho entendido que você gosta muito dos brinquedos, e que as vibrações o estimulam.
Sim, são como borbulhas de champanhe, e é preciso dizer que ultimamente quem mais se importa comigo é a indústria dos brinquedos eróticos. Quase todos os vibradores têm agora seus estimuladores do clitóris, cada vez mais anatômicos e sofisticados. Isto para não falar daqueles desenhados especialmente para nós. Meu empresário está buscando um patrocinador para mim e, por enquanto, não me foi permitido fazer publicidade, mas há verdadeiras maravilhas no mercado. Toda mulher deveria ter um pequeno kit de sobrevivência para as épocas de vacas magras e descobrir que, quando a colheita é ruim, também é possível ser autosuficiente.

1

No seu caso, o tamanho também importa?
Não para o meu perfeito funcionamento. E mais, se sou muito grande, acabo por complexar a minha dona, que vê a coisa pouco estética. O homem que tem um pênis grande, ao contrário, é muito orgulhoso dele. Ainda existem esses dois pesos, duas medidas.

O que me diz dos púbis depilados, é a favor ou contra?
Entre nós mesmos há diversos setores. Alguns preferem não estar rodeados de pelo, porque argumentam que assim são melhor localizados e que têm maior sensibilidade; mas também existem os da linha pró Mato Grosso, que defendem a naturalidade e o papel protetor da penugem dos genitais, que atua como barreira para evitar a entrada de vírus e infecções. Ter o púbis como o de uma atriz pornô exige a eliminação constante do pelo, causando a inflamação dos folículos pilosos e deixando feridas abertas microscópicas. Isto, combinado com o calor e o ambiente úmidos dos genitais, cria um caldo de cultura para as bactérias patogênicas. É uma questão de moda e, conforme li recentemente, já existem algumas defensoras do felpudo. Não me estranharia nada que voltasse a tendência dos genitais peludos. Muitas que fizeram a depilação a laser precisarão, nesse caso, recorrer aos postiços.

12

Fotos: The Wild Side
Fonte: El Pais/Rita Abundacia/tradução: Silvio Diogo

O prazer feminino

30

Antes de qualquer coisa, uma confissão: eu me masturbo. E não é pouco. A sua namorada se masturba, a sua mãe se masturba, a sua tia, a moça de óculos com cara de recatada que senta ao seu lado na sala de aula, aquela senhora de meia idade que cruza com você na fila do cafezinho no trabalho. Todas nós buscamos o prazer saudável e solitário que só a masturbação é capaz de nos presentear: no redtube, na literatura erótica, nos grupos eróticos no facebook ou na nossa fertilíssima imaginação – que nem sempre contempla aos homens que amamos.

Assim como vocês, nós podemos sentir prazer imaginando uma transa proibida com o vizinho casado ou com aquele ator que você insiste em dizer que “não é isso tudo”.

Dito isto, me ocorre: porque exatamente isso é uma confissão? Porque não podemos, assim como vocês, dizer numa roda de conversa que nós sentimos prazer sozinhas e que adoramos o nosso vibrador novo?

O prazer feminino ainda é um tabu. E o mais ininteligível nisto é que nós, mulheres, que somos tão absurdamente sexualizados pela mídia, pela indústria pornográfica e pelo imaginário masculino de um modo geral, não podemos assumir essa sexualização quando se trata do prazer propriamente dito.

A sexualização feminina só é socialmente aceita quando convém; sexualizar o corpo da mulher em prol do prazer masculino nunca foi uma aberração.
Quem não se lembra do caso de Luana Piovanni – e do estardalhaço desnecessário pela aparição acidental de um vibrador ao fundo de uma selfie?

27

Quando ela – Luana – ou qualquer outra mulher aparece seminua numa revista masculina, não há indignação – afinal, peitos e curvas a serviço da masturbação masculina – essa sim aceita e, inclusive, incentivada – não são novidade. Mas admitir que esta mesma mulher pode sentir prazer sem o auxílio de um homem é absurdo, imoral, quase inaceitável.

É fácil admitir que a mulher pode ser sexualizada pelo homem – e aqui não estamos tratando de um sujeito específico, mas de um sistema, da lógica patriarcalista – mas é inaceitável que nós possamos usufruir, sozinhas, de nossa própria sexualidade.

O tabu da masturbação feminina vai além da hipocrisia: passa pela ideia de que nós não podemos sentir prazer sozinhas sem que isso fira de morte o ego masculino – já que o homem é dito, em todos os lugares do mundo e desde o início dos tempos, como o grande e indispensável provedor, aquele que satisfaz – em todos os sentidos – a sua fêmea.

26

Desconfio que é este pensamento que nos aprisiona nesse casulo de constrangimento quando se trata de nossa própria sexualidade; que faz com que ainda haja multilação genital na África e com que mulheres precisem usar pseudônimos para escreverem contos eróticos para que não sejam importunadas por desconhecidos.

O patriarcado prefere acreditar que nós precisamos dos homens para sentirmos prazer. Sinto informar: vocês estão redondamente enganados.

Fotos: Artistic Smut
Fonte: DCM/Nathalí Macedo

25

Mulheres reclamam da performance de homens

8

O que tem de mulher reclamando da performance de homens na cama não é de se ignorar. Ao que parece, o grau de insatisfação delas não é baixo.

E, compreendamos, há justificativas.

Por motivos que não me cabe analisar aqui, o sexo, em linhas gerais, acabou se tornando uma atividade dedicada ao prazer masculino. Por conta de fatores históricos, os desejos das mulheres por muito tempo ficaram em segundo plano.

Mas os tempos modernos estão tratando de derrubar esse paradigma.

Hoje não são só as mulheres que procuram valorizar o prazer feminino na cama – mas nós, homens, estamos cada vez mais sedentos para proporcionar a elas um bom orgasmo.

Digam, senhores, há algo mais gratificante do que ver a mulher que está com você se contorcer no lençol? De saber que ofereceu a ela a melhor sensação física que pode sentir?

9

Por isso, buscamos algumas dicas para aumentar a sua chance de alcançar esse objetivo. E, durante a pesquisa, encontramos o site How To Make Me Come, que em português significa “Como Me Fazer Gozar”. E – surpresa! – ele é escritos por mulheres.

Ou seja, são moças dizendo o que deve ser feito para que elas alcancem o orgasmo.

Beleza, não?

Então eu dei uma boa vasculhada no Tumblr e garimpei os conteúdos que mais se repetiram nas descrições femininas.

Eis aqui um resumão.

10

— FATORES INDIRETOS —

# Dê segurança

Um dos fatos que se destacou na maioria dos comentários do site foi a necessidade que as mulheres têm de se sentirem seguras para que as coisas possam acontecer idealmente. O sexo, na verdade, começa muito antes do casal ir para a cama. Ela precisa confiar em você para que se abra.

Eis o que uma delas disse:

Eu preciso me sentir segura. Eu preciso sentir que você não me julgará pelas caras e barulhos que eu fizer. Eu preciso sentir que você não ligará se eu não tive tempo para me depilar naquele dia. Eu preciso sentir que as minhas necessidades não são coisas que você precisa tirar rapidamente do caminho para que então possamos fazer as suas coisas logo. Eu preciso me sentir desejada.

Essa última frase resume tudo: a mulher quer se sentir desejada. Para que isso aconteça, ela precisa estar à vontade ao seu lado, se sentindo livre para agir como quiser.

11

Por isso, os já conhecidos elogios sinceros são muito bem vindos. Faça-a notar que você valoriza a sua companhia, que a acha linda, que sente tesão pelo seu corpo, que tem prazer em estar com ela – e tudo ficará bem.

Sentindo-se desejada por você, ela estará segura e se abrirá.

# Devagar é como elas gostam

Se a dica de cima apareceu em muitos comentários, essa daqui foi quase unânime: não tenha pressa para nada durante o sexo.

O fato de boa parte das mulheres terem mencionado essa sugestão indica que o contrário tem ocorrido muito: os homens estão com pressa na cama. E, ao meu ver, parece que isso está ligado ao fato apresentado no início do texto. Aquela ideia de “vou acabar logo com as preliminares para poder transar, gozar e me satisfazer” ainda está bastante presente.

E elas odeiam isso, ao que tudo indica.

20

Não faça com que nem as preliminares e nem a transa seja algo burocrático, onde o único objetivo é o seu orgasmo. Elas querem que a gente experiencie o sexo por inteiro, em todos os seus momentos.

Quando for chupá-la, não faça apenas para cumprir papel. “Beije minha vagina como se fosse minha boca”, disse uma moça. Não tecnicamente, eu entendi, mas na essência. Se envolva por inteiro nessa tarefa e ela ficará louca!

Dê uma olhada nesse comentário:

Me provoque. Tome o tempo necessário para realmente me excitar. Meus lábios, orelhas, pescoço, coxas, barriga, etc. Tudo precisa de atenção. Quanto mais tempo você me beijar sem pular da minha face para a minha virilha, melhor será quando você finalmente chegar lá embaixo. E tornará o seu trabalho muito mais fácil.

Quer outra sugestão?

Me beije devagar desde de trás da minha orelha, passando pelo meu pescoço, pelos meus peitos, pela minha barriga, pelos meus joelhos, pelas minhas coxas, e então finalmente, depois da tortura, beije a minha molhada e ansiosa vagina.

verm 5

# Ouça-a

Fiz um texto há duas semanas ressaltando a importância de se dedicar a conhecer a mulher que está deitada em sua cama. Não dá para tratar todas da mesma maneira. Cada uma funciona de um jeito.

E a melhor forma de saber como a moça que está em seus braços funciona é perguntando a ela. É outra sugestão que encontrei em peso nos comentários do How To Make Me Come.

Tome o seu tempo para aprender sobre o meu corpo. O que funcionava com a sua ex, talvez não funcione comigo. Nós somos todas muito diferentes, então, a não ser que você seja tipo um mágico gênio da vagina, demorará um pouco até que aprenda como me fazer gozar. E está tudo bem! Vamos concordar que não precisamos nos estressar por causa disso.

Não se preocupe, portanto, em demonstrar que quer aprender – o que revelará que você não sabe tudo. Se todas as mulheres são diferentes, quem é que sabe tudo? (Aliás, outra coisa que apareceu bastante nos comentários é uma certa repulsão a homens arrogantes, que agem dessa maneira.)

verm 2

Elas dizem que não só vão adoram indicar o caminho para que você a faça gritar de prazer, como farão questão de deixar claro que você está acertando nos movimentos.

Varie em suas técnicas. Tente diferentes movimentos, velocidades, intensidades e focos de área. Ouça-me atentamente, porque quando você achar a combinação certa, eu o deixarei saber.

# Beije seus peitos

Apesar do peito ser uma zona bastante erógena, dificilmente levará uma mulher ao orgasmo se estimulado isoladamente (apesar de que nunca se sabe, né?). Por isso não aparece com muita frequência nos comentários do site.

Mas separamos a dica abaixo, que nos pareceu bem relevante:

Há uma linha muito tênue entre beijar os seios de forma super sexy e fazer isso como se fosse um homem com complexo de Édipo querendo se amamentar. Beijar o mamilo e todo o entrono do peito até a clavícula é um ótimo movimento sem ter que apelar para chupar o mamilo em si. Movimentar seus dedos úmidos circularmente em volta do meu mamilo também é uma das minhas sensações preferidas no mundo!

61

— FATORES DIRETOS —

# Penetração

Quanto à penetração, a grande maioria diz que não é o método mais prático de fazê-las gozar. Algumas conseguem após ótimas e longas preliminares.

No entanto, por não ter muito estímulo sensorial – já que o clitóris, que é o órgão de maior estimulação sensorial no corpo delas, fica do lado de fora -, a penetração tem um significado diferente para mulheres e homens.

De qualquer forma, elas recomendam fortemente que nós estimulemos seus clitóris durante a penetração. Muitas dizem que ficam maravilhadas quando encontram um homem com habilidade para fazer ambas as tarefas de uma vez e com competência.

verm 32

Tem um comentário que me parece bem importante sobre o assunto. Segue:

O movimento que funciona para os homens não necessariamente funciona com as mulheres. E nada nos filmes ou na TV ou em pornô nos levará a acreditar nisso. O movimento repetitivo de entrar e sair não significa nada para mim e eu não acho que estou sozinha nessa. O sexo não deveria ser um envolvimento mútuo? Ao menos eles nos fizeram de uma forma que um tem uma coisa para dentro e outro uma coisa para fora. Por que nós simplesmente não fomos feitos de uma maneira que o mesmo movimento fosse bom para homens e mulheres?

Esse pensamento resume tudo: a penetração para elas não é o mesmo que para nós. Ignorar isso é menosprezar o prazer da mulher – e isso não facilitará o orgasmo dela.

Fica a dica!

027

# Ponto G

O Ponto G é uma questão polêmica. Tem quem diz que não existe – mas a experiência de algumas mulheres provam que, sim, essa zona erógena está lá pronta para ser ativada.

No entanto, isso não é algo comum segundo os comentários do site. Dos 73 textos, apenas 3 mencionaram o Ponto G, sendo que somente uma falou mais profundamente sobre ele. Mas, ah, ela disse maravilhas: “O orgasmo promovido pelo Ponto G é bem diferente do clitoriano. É muito mais intenso e algumas mulheres podem realmente ejacular (“squirt”) com ele.”

Não vale a pena tentar?

Apesar de sabermos que guias apenas dão referências gerais que certamente irão variar de mulher para mulher, sabemos também que eles podem nos dar um norte. Então vamos ler o “Meu Guia para o Ponto G”, o pequeno texto oferecido por essa mulher que conhece bem seu Ponto G (muitas moças não têm ideia de que eles existem):

12

Pegue minha mão. Não tenha medo. Deixe-me ser o seu guia para o Santo Graal dos buracos… o Ponto G. (…) Para atingir o Ponto G você precisará dos três Ps: pressão, precisão e paciência. Eu não tenho certeza se esse guia vai te fazer encontrar o Ponto G de qualquer mulher, mas é como eu acho o meu. Seu primeiro round será com um vibrador. Depois você pode colocar um travesseiro debaixo da mulher e tentar repetir o mesmo processo com seu pinto. O processo deverá levar uns 20 minutos. Aqui vai…

1# Primeiro, faça-a gozar pelo clitóris.

2# Deixe-a dessensibilizar.

3# Em velocidade baixa, pressione o vibrador externamente cerca de uma polegada (1-3 centímetros) abaixo de seu botão e suba pela sua parede vaginal, movimentando o vibrador para baixo e para cima, indo até o ânus em oposição ao seu botão. Em nenhum momento você precisa penetrá-la – há poucos nervos dentro de sua vagina e é somente a sensação de “estar preenchida” que é boa (NE: o que ela quer dizer é que o apelo da penetração não é o estímulo sensorial nervoso, que é onde a moça pretende chegar).

4# Ela começará a inchar, suar e sentir uma pressão crescer.

4

5# Ligue o vibrador em velocidade média e continue com os mesmos movimentos. Ela deve começar a verbalizar nesse ponto. Ela provavelmente gostará da sensação do vibrador pressionando forte e de quando ele se aproxima da entrada de sua vagina, mas não coloque-o na entrada, porque, como eu disse, não há muitos nervos lá – é principalmente uma zona morta.

6# Ligue o vibrador na aceleração máxima. O prazer se aproximará da dor se você estiver fazendo certo, e ela estará perto de gozar. Então procure estar atento ao seu limiar de sensibilidade. Se tudo correr bem, em breve ela ficará sem palavras, não conseguirá engolir, seus dedos se contorcerão, e ela será capaz de acabar com os problemas de seca da Califórnia.

7# Agora você deve se concentrar em aplicar pressão com o vibrador no Ponto G, contra a PARTE DE FORA da parede de sua vagina. Se tudo correr bem, ela não conseguirá mais se comunicar, então apenas continue fazendo o que você está fazendo.

1

8# Uma vez que você a fez alcançar o clímax, e se, por acaso, vocês dois estiverem desempregados, vocês podem continuar. A maravilha do Ponto G é que uma vez que você o acessa, pode ter múltiplos orgasmos por horas. Uma vez eu tive sete orgasmos pelo Ponto G em uma hora.

Você deve ter ficado curioso com o fato de que o estímulo do Ponto G que a moça indicou é por fora da vagina (mais ou menos na zona dos pelos pubianos). Interessante, não? Realmente talvez isso não funcione com outras mulheres. Mas por que não tentar?

De qualquer forma, o Ponto G também pode (e é mais fácil) ser encontrado por dentro da mulher, o que você pode fazer com o dedo ou com o pinto. Se estiver curioso, leia esse texto: “Afinal, onde fica o Ponto G?”  

# Sexo oral

E, enfim, chegamos na mina de ouro. É aqui que tudo acontece para elas! O sexo oral é o momento mais valioso para grande parte das mulheres. É lá que elas encontram o que todos procuram: o orgasmo.

9

“Eu amo penetração também, mas o sexo oral é a Mecca, é a sensação onde todas as outras sensações terminam”, contou uma moça ardente.

Por isso que homem que não gosta de fazer sexo oral já começa no negativo profundo.

Há algumas dicas que se repetem nos comentários:

Varie e não fique sempre nos mesmos movimentos (“Um pouco de língua aqui, uma chupada ali”);

Não faça movimentos frenéticos no clitóris e nem o friccione. Sério, elas odeiam isso! (“Pense em alguém que, com seus dedos ásperos, esfrega-os freneticamente na cabeça do seu pinto – é isso o que eu sinto quando o seus dedos estão no topo do meu clitóris (não ao lado) – machuca!”);

7

Use a língua e os dedos ao mesmo tempo – mas entre com os dedos depois de um tempo aquecendo a situação, e não logo de cara (“É assim que a mágica acontece!”);

Faça movimentos circulares na região do clitóris, preferencialmente em volta dele.

Ela quer sentir que você acha a vagina dela a última bolacha do pacote, um oásis no deserto, que a coisa que você mais quer naquele momento é se perder em seus lábios, se lambuzar em seus líquidos;

Enfim, chupe-a. Sempre. E com vontade! Elas amam isso e perceber que você não quer parece ser um dos fatores mais broxantes para as mulheres.

E tem um outro comentário que é bem interessante: “Um erro comum é usar a sua língua durante o sexo oral como se fosse um pequeno e úmido pênis. O ponto é que a sua língua não é seu pênis, então não tente me foder com ela. Lamba devagar.”

13

Agora o deixaremos com um simples, quente e esclarecedor guia. Aproveite:

Quando você estiver lá embaixo, dê beijos suaves em volta da minha vagina e depois foque no meu clitóris. Seja gentil. Eu repito, seja gentil. Fazer movimentos circulares com a língua é ótimo. Eu odeio movimentos bruscos. Vejo isso no pornô a todo instante e não entendo.

Deixe sua língua larga e ligeiramente firme. Eu ODEIO aquela coisa quando a língua fica toda dura e pontuda. Não faça de sua língua um tampão de burro. Apenas coloque-a sobre meu clitóris e encontre um movimento em que você pode ficar por um tempo. Para mim, é um jogo de tempo. Então se prepare para fazer o que está fazendo por um longo período.

a32

Se eu disser que vou gozar, não acelere e nem intensifique bruscamente. Continue fazendo o que está fazendo.

É assim que nós gozamos.

Espero que esse texto seja útil para você, homem. E quanto às mulheres, por favor, dêem mais dicas e nos conte como as coisas funcionam para você – assim você pode, sem saber, ajudar profundamente alguma mulher mundo afora.

 Fotos: Les deux tentatrices
Fonte: El Hombre/Lascivia

a31

Amamos chupar nossas mulheres

Já há algum tempo saiu uma pesquisa revelando que 43% dos homens não fazem sexo oral em suas parceiras. Alguns dos motivos são cheiro e gosto ruins, quantidade de pelos, má aparência e medo de DST.Admito que o número me surpreendeu um pouco. Quase metado dos homens não são tão chegados a dar uma chupada na mulher. É muita coisa, não?Tudo bem, respeitamos quem não curte, mas ainda assim temos dificuldade em compreender essa realidade.

Sentir o gosto da parceira molhada e desejosa, explorando sua essência enquanto ela geme — quando não se aguenta, grita — de prazer e se agarra ao que estiver ao seu redor… quer maior deleite do que isso?

Sem mencionar o fato de que geralmente é no oral que a mulher experimenta as melhores sensações que o sexo pode lhe promover. Elas são loucas por uma chupada bem feita. Como bem escreveu Lasciva certa vez aqui no El Hombre: homem bom de cama faz sexo sem novinho.

Abramos aspas a ela:

“Imagina como as mulheres se sentem quando eles não fazem sexo oral? É frustrante. Se a autoestima da garota não é lá essas coisas, chega a bater a deprê quando vê que ele não quer nem experimentar o gostinho do seu sexo.”

Pois bem, senhores, para não decepcioná-la desse jeito, eis a recomendação de Lasciva:

“O homem bom de cama sabe disso e abocanha o seio da garota até fazê-la gemer. Então desce roçando os lábios sobre a sua barriga, alcança o seu clitóris e esfregar a barba no meio das pernas, sentindo prazer em sujar ali o rosto todo, e em vê-la se retorcer.”

Deu para compreender?

sexo

Se você não curte dar uma lambida e não está afim de tentar curtir, sem problemas. Isso não faz de você gay, menos homem ou qualquer outra coisa que o valha. E, também, essa não é a única forma de dar prazer a uma garota, como falamos em “tudo o que você precisa saber para fazer uma mulher gozar”.

Mas, sem mencionar o fato de que a a prática faz bem à saúde, certamente está deixando de aproveitar um dos grandes prazeres da vida.

E por que é um dos grandes prazeres da vida? Ah, por vários motivos.

O Though Catalog coversou com uns caras para levantar alguns motivos — e não só faríamoscomo faremos das deles as nossas palavras.

Saca só:

1# Porque é tipo uma necessidade

Eu preciso da vagina da minha namorada como eu preciso de bacon, ovo e queijo quando estou de ressaca. Muitas mulheres ficam preocupadas sobre o gosto que têm, mas a maioria não deveria estar. A verdade é: se ele não achar que a sua buceta é deliciosa, ele não está tão na sua.

2# Porque é um tesão vê-las com muito prazer

Eu amo a maneira como minha namorada se contorce quando eu faço sexo oral nela. Ela não é muito vocal na cama, mas agarra o lençol, curva as costas e se contorce toda antes de gozar. Esses movimentos automáticos acionados por um prazer físico são as melhroes retribuições que um homem pode pedir.

sexoo

3# Porque elas ficam agradecidas

Depois do oral, minha namorada é sempre tão boazinha comigo – e não digo só porque ela retribui o favor sexual. Ela levanta da cama e me pergunta, sorrindo, se eu quero alguma coisa para comer, e ela subitamente se mostra disposta a assistir qualquer coisa que eu queira no Netflix. É incrível. Seu clitóris é tipo um botão “seja boazinha”.

4# Porque é um desafio

Chupar uma mulher é sempre um aprendizado. Você não pode contar com os mesmos truques para fazer o trabalho toda vez. Você tem que ler o seu corpo a cada contração e avaliar a situação em tempo real. Eu gosto do desafio. Eu sou tipo uma Wikipedia ambulante sobre a vagina da minha namorada, constantemente atualizando a seção como-fazê-la-chegar-lá e excluíndo todas as informações ruins.

5# Porque queremos sentir o gosto delas

A mulher que estou saindo tem um gosto diferente quase sempre que eu planto minha cara no meio de suas pernas, mas sempre é um aroma tipo de sobremesa. Quando quer que tenhamos plano para nos encontrar, eu me percebo fantasiando sobre o gosto doce de sua buceta. Um toque de biscoito de morango… sorvete de baunilha… mousse de chocolate…

chpar

6# Porque ouvi-la gritar é foda

Eu chuparia minha namorada todos os dias da semana pelo resto de minha vida só para ouvi-lá gritar. Nós até recebemos uma reclamação de barulho de um vizinho do andar de baixo semana passada. Ela estava acabada. E eu estava radiante de orgulho.

7# Porque elas são lindas

Eu sou um cara visual, então aprecio cada chance de encarar os meandros da vagina da minha namorada. Eu amo inspecionar cara dobrinha de carne e sorver tudo.

E aí, faz sentido? Quais outros motivos lhes deixam malucos para sentir o elixir de uma mulher?

Fotos: El Hombre
Fonte: El Hombre/Thiago Sievers