Hoje eu queria te dar

Hoje eu queria te dar.

7

Não, não quero fazer amor, obrigado. Quero uma boa e verdadeira foda. Preciso levar uma surra de sexo. Daquelas em que a gente sai dolorida, porém satisfeita. Cansada, mas leve. Estou com vontade de me perder e não mais me encontrar, de gritar sem me preocupar se estou sendo ouvida. Tudo isso para acender um cigarro de liberdade, dormir o sono do gozo, relaxar após o orgasmo.

Quero dar com vontade, abraçar o teu membro com força e calor. Aquecer teu corpo, compartilhar o suor, transgredir o óbvio, lubrificar a alma, invadir o teu senso de racionalidade. Na hora H, não há espaço para a razão. O tesão é passional.
5
Preciso dar de uma forma violenta, afinal a dor e o prazer são parceiros sexuais e eu adoro participar dessa orgia de sensações. Mordidas, puxões de cabelo e até uns tapas são permitidos. Não há limites para gozar e eu quero mais, exijo a felicidade para o meu corpo.
Vou dar durante horas. Não irei abandonar a pele daquele homem, sem a garantia do meu riso de alívio, sem deixar marcas do meu néctar de prazer por toda parte, sem que ele leve daqui o meu gosto na boca. Vou dar meu amor, minha vontade, minha língua e meu sexo. Vou me entregar por inteira, pois só assim, serei eu mesma.
Vou dar aquilo que é teu, que já conquistaste, já dominaste. Me pega, me bate me xinga e me ama. Me usa, me joga, me fode. Me morde, me beija, me ganha. Não quero suavidade, preciso de intensidade. Não me venha com romantismo, estou louca é pelo fogo da carne, pela paixão na pele.
Quero dar de quatro, de pé, por baixo, por cima, de lado, sentada. Quero ser tua e quero te comer. Degustar cada parte do teu corpo, lamber cada gota do teu prazer. Quero dar, para lembrar como sou feliz e também para esquecer de como é triste a vida sem teu cheiro. Não, não quero libido sem pecado, gosto mais do proibido. E não me venha com amor consumado, transa com meias ou pudor no lugar de malícia. Entenda que minha necessidade rima com liberdade.
8
Preciso me dar esse presente.
Quero te dar.
Beijo, te amo
Fotos: SwannSong’s Erotica
Fonte: Chico Garcia

As mulheres vistas por um homem

1

Não importa o quanto pesa.
É fascinante tocar, abraçar e acariciar o corpo de uma mulher.
Saber seu peso não nos proporciona nenhuma emoção.
Não temos a menor ideia de qual seja seu manequim.
Nossa avaliação se dá de outra forma,
isso quer dizer: se tem forma de guitarra… está bem.

Não nos importa quanto medem em centímetros, é uma questão de proporções, não de medidas.
As proporções ideais do corpo de uma mulher são: curvilíneas e carnudas.
Essa classe de corpo que, sem dúvida, se nota numa fração de segundo.
As magrinhas que desfilam nas passarelas, seguem a tendência desenhada
por estilistas que, diga-se de passagem, parecem odiar as mulheres e com elas competem.
Suas modas são retas e sem formas.

2A maquiagem foi inventada para que as mulheres a usem. Usem!
Para andar de cara lavada, basta a nossa.
As saias foram inventadas para mostrar suas magníficas pernas…
Se a natureza lhes deu estas formas curvilíneas, foi por alguma razão e eu reitero: nós gostamos assim.
Ocultar essas formas é como ter o melhor sofá embalado no sótão.

É essa a lei da natureza… que todo aquele que se casa com uma modelo magra, anoréxica, bulêmica e nervosa logo procura uma amante cheinha,
simpática, tranquila e cheia de saúde.

3As jovens são lindas… mas as de 30 para cima, são verdadeiros pratos fortes.
Por tantas delas somos capazes de atravessar o atlântico a nado.
O corpo muda… cresce, não da de entrar, sem ficar psicótica,no mesmo vestido que usava aos 18.
Uma mulher de 45, que entra na roupa que usou aos 18 anos, ou tem problemas de desenvolvimento ou está se auto-destruindo.

Nós gostamos das mulheres que sabem conduzir sua vida
com equilíbrio e sabem controlar sua tendência a culpas.
Ou seja, aquela que, quando tem que comer,come com vontade
(a dieta virá em setembro, não antes); quando tem que fazer dieta,
faz dieta com vontade (não se saboteia e não sofre);quando tem que ter intimidade com o parceiro, tem com vontade; quando tem que comprar algo que gosta, compra; quando tem que economizar, economiza.

4ALGUMAS LINHAS NO ROSTO, ALGUMAS CICATRIZES NO VENTRE, ALGUMAS MARCAS DE ESTRIAS NÃO LHES TIRA A BELEZA.
SÃO TESTEMUNHAS DE QUE FIZERAM ALGO EM SUAS VIDAS,
não tiveram anos em formol, nem em spa… VIVERAM!

Fotos: SwannSong’s Erotica

A mente de um homem depois do sexo

1de minha amiga Consuelo uma queixa que me pareceu incongruente: “Lembra do Carlos? Dispensei. Ele era insuportavelmente grosseiro depois do orgasmo”. “Como assim?”, perguntei. “Vocês homens tornam-se incivilizados depois que conseguem seu orgasmo. Sobem na árvore, grunhindo para si mesmos, incapazes de dividir. “Dividir. Quantas vezes já ouvi esta palavra sair em estocadas da boca de uma mulher. Di-vi-dir. Em suma, o pobre Carlos, o fiel e dedicado Carlos, depois do orgasmo, quis assistir futebol. Nem um beijo, nem uma palavra de amor. Apenas o som frio e oco do controle remoto. Adeus, Carlos, você não quis di-vi-dir o “depois” do orgasmo.

5Consuelo não é exatamente uma feminista, e a queixa, embora intelectualizada, me pareceu cheia de razão. É verdade, depois do sexo somos incivilizados: sofremos de fastio. Todos nós, homens, sofremos do fastio pós-coito. Mas por alguma razão sempre à espreita, talvez o terror antimachismo ou a política de boa vizinhança, temos de fingir que não. Disse firme para Consuelo: “Já não bastam as preliminares extensíssimas que vocês nos exigem, querem agora que fiquemos depois fazendo onda também…” Não sei se foi a palavra onda, mas o fato é que ouvi de Consuelo a seguinte frase: “Você é narcisista e egocêntrico”.

2As mulheres são mesmo assim, sinceras. Nós é que somos os eternos mentirosos. E pagamos por isso. Mentimos (ou ao menos omitimos) que queremos ficar ao lado delas depois de totalmente saciados, quando, na verdade, queremos ligar a TV e ver os gols da rodada ou ir à cozinha comer um pedaço de pizza fria. Talvez seja hora de falarmos com a franqueza peculiar ao sexo frágil. Elas nos pedem que compreendamos seu tempo sexual. Nós compreendemos. Elas nos pedem que olhemos seu interior. Nós olhamos. Elas nos pedem que dividamos com elas a preocupação com a gravidez. Nós dividimos. Quero viver meu fastio pós-coito, meu pessoal e intransferível pós-coito, em paz. É meu singelo pedido.

6Para nós, homens, parece nonsense o bailado feminino depois da cópula. Não entendemos como elas conseguem permanecer passarinhando ao nosso redor, esfregando seus pezinhos frios na nossa canela e beijando nossa orelha, se não há nenhum motivo gritante para isso. Já não cumprimos nossa missão, passo a passo – caprichamos nas preliminares, olhamos por dentro delas, usamos devidamente a camisinha contra gravidez e doenças? Elas já não estão coradas e felizes? Que mais esperam de nós, depois de tamanha explosão de energia? Não entendo. Há entre um orgasmo e outro um breve momento de indiferença gloriosa. É breve, mas existe. Depois do sexo, estamos fartos, cheios até a boca, boiando no torpor de nossos egos inflados e hormônios sedados, orgulhosos de nós mesmos e completamente indiferentes a ela – ou a tudo. Olhei para Consuelo e pedi: “Clemência! É que, depois do sexo, não precisamos de mais nada”. Consuelo fuzilou-me: “Vocês só nos dizem coisas doces para nos usar. Depois do prazer, não servimos nem para conversar”.

3E isso não é ótimo? É como nos sentimos também – usados -, só que não julgamos isso negativo. Consuelo me cansa com a mania persecutória comum a todas as mulheres deste século. Pago por todos os homens opressores da história da humanidade – e quem sou eu? Um oprimido, um homem que não pode viver seu fastio pós-coito sem sustos, porque sabe que um quarto de hora mais tarde estará de novo no alto da montanha-russa da testosterona, prestes a implorar de joelhos que a amada o encha de beijos e ouça as perversões que guardou para ela. Quem é o usado aqui?

7Calei-me. Não disse a Consuelo uma imagem que Toni, um amigo em comum, me deu certa vez sobre o momento depois do orgasmo. “Sabe”, ele me disse, “quando você encosta os dois pés na beirada da piscina para dar impulso e ganhar distância? Tenho vontade de fazer isso… na cama”. Ele não disse na cama, ele disse o nome da namorada dele. E completou: “Com todo respeito”. Toni ansiava por ganhar espaço, solidão, estar só com sua total – e fugaz – alforria do desejo. Sexo é prisão. Doce prisão. Se há alguém escravo numa relação de sexo, somos nós, os homens. O desejo nos acorrenta às mulheres; o momento pós-coito nos liberta. Nos sentimos livres, por alguns momentos, daquela angústia permanente que é nosso desejo ancestral de copular com todas as mulheres do mundo, distribuir nossos espermatozóides e proliferar nossas sementes sobre a terra.

8É uma centelha de paz justa, merecida, neste universo tão caótico. E não há razão nenhuma para que sintamos culpa pelo fastio diante da nudez irada e tagarela da mulher que acabamos de satisfazer sexualmente e agora insiste numa conversa sem sentido.

Fotos: La Vetrina Di Eros in Bacheca
Fonte: Diário do Centro do Mundo/Fabio Hernandez

a1

#MeuAmigoSecreto

a1

A tag viral #MeuAmigoSecreto tem feito sucesso nas redes sociais e deixado alguns homens bem incomodados. Trata-se de uma campanha para que as mulheres denunciem comportamentos machistas, transfóbicos, homofóbicos e racistas de seus “amigos”. Selecionei 16 das melhores postagens.

‪1) #‎meuamigosecreto‬ diz que não gosta de se relacionar com mulheres que “pensam demais”, pois da muito trabalho. (@TatianaTrad)

2) ‪#‎meusamigossecretos‬ não compreendem que a questão de não citar nomes diz respeito a não criar uma discussão em torno de um alguém, porque, se falamos em terceira pessoa, estamos falando de uma estrutura, de uma lógica. meu amigo secreto não entende que a história não tem sujeito e acha que estamos sendo covardes: compre um espelho, parça. (@BarbaraPessoa)

a2

3) #‎meuamigosecreto‬ tem muitas amigas negras, transa com algumas, considera algumas particularmente especiais, mas só namora com brancas preferencialmente classe média, prefere entrar num relacionamento com uma branca pela qual não demonstra nem afeto nem respeito pois ainda que ache a brother negra mais interessante e mais bacana, não vai querer ser visto por aí de mãos dadas com uma negra. Meu amigo existe aos montes. (@EstranhaGrazy)

4) ‪#‎meuamigosecreto‬ é professor. Já deu aula no ensino médio quando pediu pra aluna, menor de idade, pagar boquete pra não ser reprovada na matéria. Na faculdade de Teatro ele pedia pras meninas fazerem cena de sexo, mas só pras meninas. Agora tá dando aula no meu curso novo. Vem no inbox puxar conversinhas e na sala de aula aproveita pra, sempre que possível, passar a mão em algumas partes dos corpos das minas. (Mariana Galvan)

a3

5) ‪‪#‎meuamigosecreto‬ diz que é doido para ser pai futuramente, mas se a namorada ficar grávida agora, diz que ela é uma moralista porque não quer abortar e chega até dizer pra enfiar um cabide lá dentro e usar um remédio que, se ingerido quando a mulher está grávida, o feto fica deformado. (@IsabellaOliveira)

6) #‎meuamigosecreto‬ tira fotos das mulheres com quem ele transou enquanto elas dormem e compartilha em grupos “zoeira” do whatsapp. (@LuaCalasans)

7) ‪#‎meuamigosecreto‬ antes de me conhecer pessoalmente disse que eu era interessante e muito bonita e pediu para ficar comigo, mas depois que descobriu que sou deficiente disse que queria ser apenas meu amigo. Obrigada querido, mas de preconceituosos só quero distância mesmo. (@BelaAngel)

a4

8 ) #‎meuamigosecreto‬ é filósofo e livre pensador. Mas quando uma aluna faz uma pergunta inteligente em aula ele responde com: “nossa, a cor da sua roupa ressalta sua beleza”. (@NaniCoimbra)

9) ‪#‎meuamigosecreto‬ se orgulha de ter “traçado” – sim, é esse o termo que ele usa – 5874629864 mulheres. Ele só sabe transar usando o pinto, e acredita que a coisa toda se resume a estocadas frenéticas e vigorosas. Como diria Alexandre Frota, o negócio é comer cu e buceta. Obviamente, ele tem nojo de sexo oral. E compra as videoaulas de educação sexual no câmelo – “7 DVD é 10, minha gente”. Ou então assiste no redtube mesmo. (@AlineXavier)

10) ‪#‎meuamigosecreto‬ sou eu. Fui criminosamente adestrado pra ser machista e mesmo achando que não sou, devo ser em algum ponto cego. Se acontecer ou quando acontecer, me denunciem. (@PedroPonde)

a5

11) ‪#‎MeuAmigoSecreto‬ escreve poesia intencionada exclusivamente para ter moral com o sexo feminino. Ele se considera “poeta”, mas, sua “poesia” se caracteriza apenas por elogios clichês e supérfluos direcionados às meninas, para, assim, ganhar reconhecimento, coraçõezinhos, seguidores e likes em sua página. E pior: ele consegue. (@EsterBarroso)

12) ‪#‎meuamigosecreto‬ se sente seguro categorizando o mundo entre “coisas de homem” e “coisas de mulher”. Assim ele pode ser preconceituoso à vontade e se sentir socialmente respaldado. (@IsadoraSebadelhe)

13) ‪#‎meuamigosecreto‬ terminou com ex pq não suportava a igualdade de direitos que ela impunha. Como pode alguém gostar de sexo tanto quanto eu? Como pode se destacar profissionalmente tanto quanto eu? Meu amigo optou por uma mulher “menos”. Até hoje meu amigo manda mensagem pra ex querendo “mais”. Coitado do meu amigo. (#MarianaSena)

a6

14) ‪#‎MeuAmigoSecreto‬ sempre foi um pai de família responsável e amoroso, afinal, ele sempre quis ser pai. Menos quando encontrou uma outra mulher e ele não pensou duas vezes em abandonar tudo que construiu, dificultando ao máximo a vida das suas filhas, inclusive suspendendo quando queria a pensão. A última foi a anulação da assistência médica. Meu amigo secreto acredita que pagando pode se eximir da função de pai. (@RaissaFigueiredo)

15) ‪#‎meuamigosecreto‬ é jovem, universitário, e acha que toda reação promovida pelas mulheres até agora é pura modinha e fica de saco cheio em ver tantos #meuamigosecreto, que provavelmente, são amigos dele e é ele TB. Ele só n sabe o quanto é idiota por n entender que não há nada de moda, há luta, há necessidade de combater toda forma de agressão contra as mulheres, um machismo, uma violência enraizada há mais de séculos. Então, #meuamigosecreto, acorda e vai estudar um pouquinho. Abaixa teu rabinho e ‪#‎aceitaquedoimenos‬, pq ainda vai ter mto papelzinho voando por aqui. (@EmiliPinheiro)

a7

16) #meuamigosecreto É tenente da Polícia Militar. Apresentou-se como o oficial responsável pela comunicação da tropa de uma cidade da Grande São Paulo. Isso significa que ele é o policial habilitado para falar com jornalistas. Esse tenente passou alguns vídeos para uma reportagem através de mensagens no WhatsApp. Para mim e para outros três colegas (homens). O meu contato com ele foi esse. Apenas esse – o número nem ficou salvo na agenda. Dias depois, esse oficial da PM me mandou outra mensagem. Dizendo que eu era linda, princesa e mais um monte de baboseiras. Cortei com educação, explicando que além de ser casada, não admitiria esse tipo de aproximação abusiva seja qual fosse o meu estado civil. E aí o cara me xingou. Ameaçou também. Mudou a foto do avatar do WhatsApp para uma em que ele aparecia com uma pistola em punho. Disse que eu era folgada e algo como “vai trombar comigo na rua”. Fui para a Corregedoria. Onde só fui ouvida porque sou jornalista. Mas não sem um “ah, mas não é pra tanto, vai”. #meuamigosecreto foi afastado do cargo, eu soube. Mas quantas mulheres será que ele ainda ameaça com uma arma quando ouve um não? (@ThaisNunes)

Fotos: Artistic Smut
Fonte: DCM/Nathali Macedo

a8

O prazer feminino

30

Antes de qualquer coisa, uma confissão: eu me masturbo. E não é pouco. A sua namorada se masturba, a sua mãe se masturba, a sua tia, a moça de óculos com cara de recatada que senta ao seu lado na sala de aula, aquela senhora de meia idade que cruza com você na fila do cafezinho no trabalho. Todas nós buscamos o prazer saudável e solitário que só a masturbação é capaz de nos presentear: no redtube, na literatura erótica, nos grupos eróticos no facebook ou na nossa fertilíssima imaginação – que nem sempre contempla aos homens que amamos.

Assim como vocês, nós podemos sentir prazer imaginando uma transa proibida com o vizinho casado ou com aquele ator que você insiste em dizer que “não é isso tudo”.

Dito isto, me ocorre: porque exatamente isso é uma confissão? Porque não podemos, assim como vocês, dizer numa roda de conversa que nós sentimos prazer sozinhas e que adoramos o nosso vibrador novo?

O prazer feminino ainda é um tabu. E o mais ininteligível nisto é que nós, mulheres, que somos tão absurdamente sexualizados pela mídia, pela indústria pornográfica e pelo imaginário masculino de um modo geral, não podemos assumir essa sexualização quando se trata do prazer propriamente dito.

A sexualização feminina só é socialmente aceita quando convém; sexualizar o corpo da mulher em prol do prazer masculino nunca foi uma aberração.
Quem não se lembra do caso de Luana Piovanni – e do estardalhaço desnecessário pela aparição acidental de um vibrador ao fundo de uma selfie?

27

Quando ela – Luana – ou qualquer outra mulher aparece seminua numa revista masculina, não há indignação – afinal, peitos e curvas a serviço da masturbação masculina – essa sim aceita e, inclusive, incentivada – não são novidade. Mas admitir que esta mesma mulher pode sentir prazer sem o auxílio de um homem é absurdo, imoral, quase inaceitável.

É fácil admitir que a mulher pode ser sexualizada pelo homem – e aqui não estamos tratando de um sujeito específico, mas de um sistema, da lógica patriarcalista – mas é inaceitável que nós possamos usufruir, sozinhas, de nossa própria sexualidade.

O tabu da masturbação feminina vai além da hipocrisia: passa pela ideia de que nós não podemos sentir prazer sozinhas sem que isso fira de morte o ego masculino – já que o homem é dito, em todos os lugares do mundo e desde o início dos tempos, como o grande e indispensável provedor, aquele que satisfaz – em todos os sentidos – a sua fêmea.

26

Desconfio que é este pensamento que nos aprisiona nesse casulo de constrangimento quando se trata de nossa própria sexualidade; que faz com que ainda haja multilação genital na África e com que mulheres precisem usar pseudônimos para escreverem contos eróticos para que não sejam importunadas por desconhecidos.

O patriarcado prefere acreditar que nós precisamos dos homens para sentirmos prazer. Sinto informar: vocês estão redondamente enganados.

Fotos: Artistic Smut
Fonte: DCM/Nathalí Macedo

25