Mulheres preferem homens mais novos

4Não quero parecer grosseira, mas não é mais. Você ficou velho para mim. Homem enrugado, e não estou falando apenas de você, não me entenda mal, é homem morto para mim. Talvez eu abrisse uma exceção para o Dr. House, mas para o Bruce Willys não. Muito menos para o Jack Nicholson, porque a coisa mais chocante sexualmente para uma mulher (ou fêmea, como notei que você gosta de escrever, seu danadinho) é um Viagra ou Cialis nas mãos de um homem. Devia ser proibido o doping no sexo, como é no esporte.

Tenho dinheiro, é verdade. Sou VP de RH de uma multinacional. Carro da empresa, bônus, aquela história toda. A idade não conto, porque eu me sentiria tentada a mentir. Acho graça ver todas aquelas idades de mentira na Caras e nas colunas sociais. Por que só saio com homens novos desde que me divorciei, depois de 17 anos de casamento em que só cometi adultério na imaginação enquanto meu marido poderia encher uma lista telefônica com os nomes das pxxxs com as quais me enganou? Porque:

11) Têm senso de humor.

2) Não se queixam da vida como os homens velhos.

3) Têm espírito de aventura. Topam escalar uma montanha dormindo numa barraca enquanto homens velhos só aceitam hotéis estrelados.

4) Mexem com facilidade e graça no computador, uma máquina que faz os homens velhos parecerem mais velhos ainda ao pedir ajuda o tempo inteiro por causa de alguma coisa que não entenderam.

25) Não têm cabelo no nariz.

6) Não ouvem Frank Sinatra, Beatles (sei que você gosta, desculpa) e outros sons da Antiguidade.

7) Dançam.

8 ) Não reclamam de dores reumáticas e nem do frio ou do calor.

39) Sabem menos que eu, o que me dá poder.

10) Não falam de política e nem de economia.

11) Na cama, fazem coisas que meu ex-marido nem sabe que existem.

12, 13 e 14) Provocam uma pxxx inveja nas minhas amigas.

15) Não roncam.

6Ah, Fabio, se você tivesse 15 anos menos… Mas o mundo não é perfeito.

Beijos,

G

Fotos: Artistic Smut
Texto: Diário do Centro do Mundo/Fabio Hernandez

Mulheres reclamam da performance de homens

8

O que tem de mulher reclamando da performance de homens na cama não é de se ignorar. Ao que parece, o grau de insatisfação delas não é baixo.

E, compreendamos, há justificativas.

Por motivos que não me cabe analisar aqui, o sexo, em linhas gerais, acabou se tornando uma atividade dedicada ao prazer masculino. Por conta de fatores históricos, os desejos das mulheres por muito tempo ficaram em segundo plano.

Mas os tempos modernos estão tratando de derrubar esse paradigma.

Hoje não são só as mulheres que procuram valorizar o prazer feminino na cama – mas nós, homens, estamos cada vez mais sedentos para proporcionar a elas um bom orgasmo.

Digam, senhores, há algo mais gratificante do que ver a mulher que está com você se contorcer no lençol? De saber que ofereceu a ela a melhor sensação física que pode sentir?

9

Por isso, buscamos algumas dicas para aumentar a sua chance de alcançar esse objetivo. E, durante a pesquisa, encontramos o site How To Make Me Come, que em português significa “Como Me Fazer Gozar”. E – surpresa! – ele é escritos por mulheres.

Ou seja, são moças dizendo o que deve ser feito para que elas alcancem o orgasmo.

Beleza, não?

Então eu dei uma boa vasculhada no Tumblr e garimpei os conteúdos que mais se repetiram nas descrições femininas.

Eis aqui um resumão.

10

— FATORES INDIRETOS —

# Dê segurança

Um dos fatos que se destacou na maioria dos comentários do site foi a necessidade que as mulheres têm de se sentirem seguras para que as coisas possam acontecer idealmente. O sexo, na verdade, começa muito antes do casal ir para a cama. Ela precisa confiar em você para que se abra.

Eis o que uma delas disse:

Eu preciso me sentir segura. Eu preciso sentir que você não me julgará pelas caras e barulhos que eu fizer. Eu preciso sentir que você não ligará se eu não tive tempo para me depilar naquele dia. Eu preciso sentir que as minhas necessidades não são coisas que você precisa tirar rapidamente do caminho para que então possamos fazer as suas coisas logo. Eu preciso me sentir desejada.

Essa última frase resume tudo: a mulher quer se sentir desejada. Para que isso aconteça, ela precisa estar à vontade ao seu lado, se sentindo livre para agir como quiser.

11

Por isso, os já conhecidos elogios sinceros são muito bem vindos. Faça-a notar que você valoriza a sua companhia, que a acha linda, que sente tesão pelo seu corpo, que tem prazer em estar com ela – e tudo ficará bem.

Sentindo-se desejada por você, ela estará segura e se abrirá.

# Devagar é como elas gostam

Se a dica de cima apareceu em muitos comentários, essa daqui foi quase unânime: não tenha pressa para nada durante o sexo.

O fato de boa parte das mulheres terem mencionado essa sugestão indica que o contrário tem ocorrido muito: os homens estão com pressa na cama. E, ao meu ver, parece que isso está ligado ao fato apresentado no início do texto. Aquela ideia de “vou acabar logo com as preliminares para poder transar, gozar e me satisfazer” ainda está bastante presente.

E elas odeiam isso, ao que tudo indica.

20

Não faça com que nem as preliminares e nem a transa seja algo burocrático, onde o único objetivo é o seu orgasmo. Elas querem que a gente experiencie o sexo por inteiro, em todos os seus momentos.

Quando for chupá-la, não faça apenas para cumprir papel. “Beije minha vagina como se fosse minha boca”, disse uma moça. Não tecnicamente, eu entendi, mas na essência. Se envolva por inteiro nessa tarefa e ela ficará louca!

Dê uma olhada nesse comentário:

Me provoque. Tome o tempo necessário para realmente me excitar. Meus lábios, orelhas, pescoço, coxas, barriga, etc. Tudo precisa de atenção. Quanto mais tempo você me beijar sem pular da minha face para a minha virilha, melhor será quando você finalmente chegar lá embaixo. E tornará o seu trabalho muito mais fácil.

Quer outra sugestão?

Me beije devagar desde de trás da minha orelha, passando pelo meu pescoço, pelos meus peitos, pela minha barriga, pelos meus joelhos, pelas minhas coxas, e então finalmente, depois da tortura, beije a minha molhada e ansiosa vagina.

verm 5

# Ouça-a

Fiz um texto há duas semanas ressaltando a importância de se dedicar a conhecer a mulher que está deitada em sua cama. Não dá para tratar todas da mesma maneira. Cada uma funciona de um jeito.

E a melhor forma de saber como a moça que está em seus braços funciona é perguntando a ela. É outra sugestão que encontrei em peso nos comentários do How To Make Me Come.

Tome o seu tempo para aprender sobre o meu corpo. O que funcionava com a sua ex, talvez não funcione comigo. Nós somos todas muito diferentes, então, a não ser que você seja tipo um mágico gênio da vagina, demorará um pouco até que aprenda como me fazer gozar. E está tudo bem! Vamos concordar que não precisamos nos estressar por causa disso.

Não se preocupe, portanto, em demonstrar que quer aprender – o que revelará que você não sabe tudo. Se todas as mulheres são diferentes, quem é que sabe tudo? (Aliás, outra coisa que apareceu bastante nos comentários é uma certa repulsão a homens arrogantes, que agem dessa maneira.)

verm 2

Elas dizem que não só vão adoram indicar o caminho para que você a faça gritar de prazer, como farão questão de deixar claro que você está acertando nos movimentos.

Varie em suas técnicas. Tente diferentes movimentos, velocidades, intensidades e focos de área. Ouça-me atentamente, porque quando você achar a combinação certa, eu o deixarei saber.

# Beije seus peitos

Apesar do peito ser uma zona bastante erógena, dificilmente levará uma mulher ao orgasmo se estimulado isoladamente (apesar de que nunca se sabe, né?). Por isso não aparece com muita frequência nos comentários do site.

Mas separamos a dica abaixo, que nos pareceu bem relevante:

Há uma linha muito tênue entre beijar os seios de forma super sexy e fazer isso como se fosse um homem com complexo de Édipo querendo se amamentar. Beijar o mamilo e todo o entrono do peito até a clavícula é um ótimo movimento sem ter que apelar para chupar o mamilo em si. Movimentar seus dedos úmidos circularmente em volta do meu mamilo também é uma das minhas sensações preferidas no mundo!

61

— FATORES DIRETOS —

# Penetração

Quanto à penetração, a grande maioria diz que não é o método mais prático de fazê-las gozar. Algumas conseguem após ótimas e longas preliminares.

No entanto, por não ter muito estímulo sensorial – já que o clitóris, que é o órgão de maior estimulação sensorial no corpo delas, fica do lado de fora -, a penetração tem um significado diferente para mulheres e homens.

De qualquer forma, elas recomendam fortemente que nós estimulemos seus clitóris durante a penetração. Muitas dizem que ficam maravilhadas quando encontram um homem com habilidade para fazer ambas as tarefas de uma vez e com competência.

verm 32

Tem um comentário que me parece bem importante sobre o assunto. Segue:

O movimento que funciona para os homens não necessariamente funciona com as mulheres. E nada nos filmes ou na TV ou em pornô nos levará a acreditar nisso. O movimento repetitivo de entrar e sair não significa nada para mim e eu não acho que estou sozinha nessa. O sexo não deveria ser um envolvimento mútuo? Ao menos eles nos fizeram de uma forma que um tem uma coisa para dentro e outro uma coisa para fora. Por que nós simplesmente não fomos feitos de uma maneira que o mesmo movimento fosse bom para homens e mulheres?

Esse pensamento resume tudo: a penetração para elas não é o mesmo que para nós. Ignorar isso é menosprezar o prazer da mulher – e isso não facilitará o orgasmo dela.

Fica a dica!

027

# Ponto G

O Ponto G é uma questão polêmica. Tem quem diz que não existe – mas a experiência de algumas mulheres provam que, sim, essa zona erógena está lá pronta para ser ativada.

No entanto, isso não é algo comum segundo os comentários do site. Dos 73 textos, apenas 3 mencionaram o Ponto G, sendo que somente uma falou mais profundamente sobre ele. Mas, ah, ela disse maravilhas: “O orgasmo promovido pelo Ponto G é bem diferente do clitoriano. É muito mais intenso e algumas mulheres podem realmente ejacular (“squirt”) com ele.”

Não vale a pena tentar?

Apesar de sabermos que guias apenas dão referências gerais que certamente irão variar de mulher para mulher, sabemos também que eles podem nos dar um norte. Então vamos ler o “Meu Guia para o Ponto G”, o pequeno texto oferecido por essa mulher que conhece bem seu Ponto G (muitas moças não têm ideia de que eles existem):

12

Pegue minha mão. Não tenha medo. Deixe-me ser o seu guia para o Santo Graal dos buracos… o Ponto G. (…) Para atingir o Ponto G você precisará dos três Ps: pressão, precisão e paciência. Eu não tenho certeza se esse guia vai te fazer encontrar o Ponto G de qualquer mulher, mas é como eu acho o meu. Seu primeiro round será com um vibrador. Depois você pode colocar um travesseiro debaixo da mulher e tentar repetir o mesmo processo com seu pinto. O processo deverá levar uns 20 minutos. Aqui vai…

1# Primeiro, faça-a gozar pelo clitóris.

2# Deixe-a dessensibilizar.

3# Em velocidade baixa, pressione o vibrador externamente cerca de uma polegada (1-3 centímetros) abaixo de seu botão e suba pela sua parede vaginal, movimentando o vibrador para baixo e para cima, indo até o ânus em oposição ao seu botão. Em nenhum momento você precisa penetrá-la – há poucos nervos dentro de sua vagina e é somente a sensação de “estar preenchida” que é boa (NE: o que ela quer dizer é que o apelo da penetração não é o estímulo sensorial nervoso, que é onde a moça pretende chegar).

4# Ela começará a inchar, suar e sentir uma pressão crescer.

4

5# Ligue o vibrador em velocidade média e continue com os mesmos movimentos. Ela deve começar a verbalizar nesse ponto. Ela provavelmente gostará da sensação do vibrador pressionando forte e de quando ele se aproxima da entrada de sua vagina, mas não coloque-o na entrada, porque, como eu disse, não há muitos nervos lá – é principalmente uma zona morta.

6# Ligue o vibrador na aceleração máxima. O prazer se aproximará da dor se você estiver fazendo certo, e ela estará perto de gozar. Então procure estar atento ao seu limiar de sensibilidade. Se tudo correr bem, em breve ela ficará sem palavras, não conseguirá engolir, seus dedos se contorcerão, e ela será capaz de acabar com os problemas de seca da Califórnia.

7# Agora você deve se concentrar em aplicar pressão com o vibrador no Ponto G, contra a PARTE DE FORA da parede de sua vagina. Se tudo correr bem, ela não conseguirá mais se comunicar, então apenas continue fazendo o que você está fazendo.

1

8# Uma vez que você a fez alcançar o clímax, e se, por acaso, vocês dois estiverem desempregados, vocês podem continuar. A maravilha do Ponto G é que uma vez que você o acessa, pode ter múltiplos orgasmos por horas. Uma vez eu tive sete orgasmos pelo Ponto G em uma hora.

Você deve ter ficado curioso com o fato de que o estímulo do Ponto G que a moça indicou é por fora da vagina (mais ou menos na zona dos pelos pubianos). Interessante, não? Realmente talvez isso não funcione com outras mulheres. Mas por que não tentar?

De qualquer forma, o Ponto G também pode (e é mais fácil) ser encontrado por dentro da mulher, o que você pode fazer com o dedo ou com o pinto. Se estiver curioso, leia esse texto: “Afinal, onde fica o Ponto G?”  

# Sexo oral

E, enfim, chegamos na mina de ouro. É aqui que tudo acontece para elas! O sexo oral é o momento mais valioso para grande parte das mulheres. É lá que elas encontram o que todos procuram: o orgasmo.

9

“Eu amo penetração também, mas o sexo oral é a Mecca, é a sensação onde todas as outras sensações terminam”, contou uma moça ardente.

Por isso que homem que não gosta de fazer sexo oral já começa no negativo profundo.

Há algumas dicas que se repetem nos comentários:

Varie e não fique sempre nos mesmos movimentos (“Um pouco de língua aqui, uma chupada ali”);

Não faça movimentos frenéticos no clitóris e nem o friccione. Sério, elas odeiam isso! (“Pense em alguém que, com seus dedos ásperos, esfrega-os freneticamente na cabeça do seu pinto – é isso o que eu sinto quando o seus dedos estão no topo do meu clitóris (não ao lado) – machuca!”);

7

Use a língua e os dedos ao mesmo tempo – mas entre com os dedos depois de um tempo aquecendo a situação, e não logo de cara (“É assim que a mágica acontece!”);

Faça movimentos circulares na região do clitóris, preferencialmente em volta dele.

Ela quer sentir que você acha a vagina dela a última bolacha do pacote, um oásis no deserto, que a coisa que você mais quer naquele momento é se perder em seus lábios, se lambuzar em seus líquidos;

Enfim, chupe-a. Sempre. E com vontade! Elas amam isso e perceber que você não quer parece ser um dos fatores mais broxantes para as mulheres.

E tem um outro comentário que é bem interessante: “Um erro comum é usar a sua língua durante o sexo oral como se fosse um pequeno e úmido pênis. O ponto é que a sua língua não é seu pênis, então não tente me foder com ela. Lamba devagar.”

13

Agora o deixaremos com um simples, quente e esclarecedor guia. Aproveite:

Quando você estiver lá embaixo, dê beijos suaves em volta da minha vagina e depois foque no meu clitóris. Seja gentil. Eu repito, seja gentil. Fazer movimentos circulares com a língua é ótimo. Eu odeio movimentos bruscos. Vejo isso no pornô a todo instante e não entendo.

Deixe sua língua larga e ligeiramente firme. Eu ODEIO aquela coisa quando a língua fica toda dura e pontuda. Não faça de sua língua um tampão de burro. Apenas coloque-a sobre meu clitóris e encontre um movimento em que você pode ficar por um tempo. Para mim, é um jogo de tempo. Então se prepare para fazer o que está fazendo por um longo período.

a32

Se eu disser que vou gozar, não acelere e nem intensifique bruscamente. Continue fazendo o que está fazendo.

É assim que nós gozamos.

Espero que esse texto seja útil para você, homem. E quanto às mulheres, por favor, dêem mais dicas e nos conte como as coisas funcionam para você – assim você pode, sem saber, ajudar profundamente alguma mulher mundo afora.

 Fotos: Les deux tentatrices
Fonte: El Hombre/Lascivia

a31

Dar ou não dar, eis a questão

31

A dúvida de Hamlet:

Você tá na porta da sua casa, acabou de voltar muito bem acompanhada da balada. Vocês estão num amasso nervoso dentro do carro, você está morrendo de tesão mas ao mesmo tempo presa em seu conflito interno se chama o cara para entrar e terminar o que começaram, ou se segue os sete mandamentos de como conquistar um cara em dez passos e deixa o convite para depois do quarto encontro, porque “fazendo assim ele não vai me achar uma vadia, não é mesmo?”. Se você se identificou com a situação descrita, na boa, eu tenho pena de você. Me desculpe, mas tenho dó de quem precisa de aprovação para viver. E é por isso que me pergunto: o que aflige tanto as mulheres? Por que temos que praticamente “fingir” que não gostamos de sexo? Por que ainda é tabu a mulher dizer que adora sexo tanto quanto o homem?

Apesar da liberdade sexual que conquistamos nos últimos 50 anos com a criação da pílula anticoncepcional e a entrada feminina no mercado de trabalho, ainda vivemos sob os resquícios de uma ótica machista. Nos foi ensinado, durante séculos, que só havia dois papéis para a mulher: o da casa e o da rua. Em casa, só entrava o sexo para procriação, aquele de luz apagada e no qual a mulher é apenas um instrumento da masturbação masculina. Já a rua era o local das mulheres que dizem sim ao prazer – as tais oferecidas. Chamar a mulher liberada de puta é um vestígio desse maniqueísmo obsoleto. Os nomes mudaram, mas o tratamento para quem transa com vários caras não: o “maçaneta” dos anos 50 evoluiu para o “piranha” que atualmente virou “periguete”. Transforma-se o adjetivo, o preconceito não.

32

O papel de homem e mulher no sexo sempre teve regras. Fazia parte do jogo de sedução a recusa dela e a insistência dele. Apesar de hoje essa dança de acasalamento sincronizada não fazer mais sentido, quantos manuais já foram escritos em revistas femininas ditando os 10 passos que devemos seguir religiosamente para transformar o paquera em um namoro sério? E quantos desses tem como regra número um postergar o sexo? Essas revistas tem uma visão tão equivocada e retrógrada que até a sessão destinada a tratar do assunto se chama “amor e sexo”, como se para as mulheres os dois sempre estivessem atrelados um ao outro e não pudessem existir independentes. E tudo isso em vão, já que se o cara não quiser algo mais sério com você, não vai ser o sexo logo de cara (ou a ausência dele) que vai mudar isso – a não ser é claro que ele seja um machista, mas nesse caso a gente até agradece descobrir isso para se livrar logo do mané.

Aliás, até a ciência comprova que o sexo mais ajuda a engatilhar do que a espantar um possível relacionamento. Estudiosos norte-americanos perceberam que quando transamos nosso corpo libera ocitocina, um hormônio que ajuda a criar laços emocionais com o parceiro. Ou seja, o velho conselho para você “resistir à tentação ou ele vai pular fora na manhã seguinte” é uma furada, perda de tempo.

33

Então pra quê se prender a esses manuais de conduta pré-estabelecidos que tentam padronizar todos os tipos de relacionamento? Por que tantas mulheres continuam escutando-os e adiando o prazer quando poderiam tê-lo aqui e agora? E que tipo de comportamento incentivamos com isso? O de que se a mulher deu na primeira é porque não vale nada? A Charlotte de Sex and the City que me perdoe, mas ao negar nosso próprio prazer também contribuimos para reafirmar e fortalecer o estereótipo da “mulher fácil x mulher difícil”, da “mulher pra casar x mulher pra se divertir”, de que se você afirma que gosta de sexo, você não presta.

Acredito que uma boa parte das mulheres ainda não foca a atenção em si mesma. Fica mais encanada imaginando o que os outros vão pensar e vão dizer, ao invés de preocupar-se com o que ela quer para ela mesma. Mas acredito também que cada vez mais mulheres pulam essa barreira de hipocrisia que separa a mulher-de-casa x mulher-da-rua. Afinal, desejo não tem local nem hora certa para surgir. Sou dessas que, se sentir vontade, transam logo no primeiro encontro. E se você sente algum incômodo com essa afirmação, acho que na real o problema não está em mim, mas sim em você. Se toda mulher é meio Leila Diniz eu acredito na máxima da musa de que “quebro a cara toda hora, mas só me arrependo do que deixei de fazer por preconceito, problema e neurose”.

34

Fotos: Tʜє ᗯɪʟᴅ Sɪᴅє
Fonte: Diário do Centro do Mundo –  DCM/Laís Montagnana

A vida como ela não é

46

Vivo num dilema mais sério que o de Hamlet. Se ele se preocupava em ser ou não ser, eu me preocupo em amar ou não amar a internet. Detalhe: num mundo em que tudo gira em torno internet. Em que os preguiçosos afastam a barriga do fogão e se limitam a presentear o colesterol com alguma comida industrializada pedida pela internet. Em que os amantes à distância, numa tentativa desesperada de resolverem a saudade e o tesão reprimido, fazem sexo pela internet. Em que os colegas de escola abrem mão das deliciosas reuniões em casa, regadas a bisnaguinha com requeijão e laranjada, para fazer trabalhos escolares pela internet.

Se por um lado, a internet nos permite fazer coisas maravilhosas – como rir de memes engraçadíssimos, ouvir o Spotify-nosso-de-cada-dia, ler livros completos sem sair do quentinho do cobertor, ter acesso a uma mídia menos tendenciosa e assistir Netflix-amor-sincero-amor-verdadeiro (<3) –, por outro, ela é um antro de insuportabilidades.

45

Todo mundo feliz, lindo, maravilhoso, penteado, disposto, sarado. E eu triste. Descabelada. Com preguiça de tomar um simples banho. E com uma vontade celestial de dormir ou de sabotar a academia para assistir Netflix de pijama.

Todo mundo com uma vida social de dar inveja a Amaury Junior: look impecável, nos lugares mais badalados, segurando uma garrafa de Ciroc. E eu de sapatilha, lápis de olho borrado, no inferninho da esquina e tomando Bavária.

Todo mundo na pegada “love my job”, mesmo que esse “job” seja atender clientes mal-educados, tropeçar a cada puxão de tapete dos colegas e suportar um chefe egocêntrico. E eu pedindo demissão a cada ano e chegando cada vez mais perto da irrefutável e trágica conclusão de que nunca nessa vida vou encontrar um trabalho que me faça minimamente feliz.

44

Todo mundo homenageando a BFF nesse último dia dos amigos, com juras de amor eterno e lembranças ~daquela tarde com filme, pipoca e brigadeiro na frente da TV, risos~. E eu pensando que nunca tive melhores amigos. Não porque sou sozinha ou chata ou introspectiva, mas porque sempre me dei muito bem com os mais variados perfis de pessoa e transitei tranquilamente entre os mais diversos grupos – até mesmo entre rivais –, o que me leva a ter dificuldades de cultivar uma única amizade com tanta intensidade.

Todo mundo almoçando com a família perfeita, num restaurante perfeito, à mesa os talheres perfeitos para uma refeição perfeita. E eu no terminal Sacomã, em pleno domingo, esperando o ônibus chegar pra poder ir à casa dos meus pais comer, num prato Duralex âmbar que eles ganharam de presente de casamento, arroz e feijão com bife acebolado e salada de alface e tomate.

43

Todo mundo fazendo coisas extraordinárias, e eu fazendo o trivial. Todo mundo em companhias inacreditáveis, e eu na sutil companhia daqueles que eu vejo todo dia. Todo mundo expondo virtudes, e eu escondendo defeitos.

Os eufóricos que me desculpem, mas um pouco de melancolia, de vez em quando, é fundamental.

Fotos: Les deux tentatrices
Fonte: Entenda os Homens/Bruna Grotti

42

Etiqueta masculina feita por homens

1a

1) Faça tudo para satisfazê-la na cama. Não economize nada. Mas, se apenas um tiver que chegar ao êxtase, que seja você.

2) Se sua língua encontrar um piercing íntimo, cuidado para não retirá-lo sem querer.

3) No tapete, é melhor que na areia. Na cama, melhor que no tapete.

9

4) Na dúvida sobre o nome, cale-se.

5) Não grite como se estivesse na arquibancada.

6) Tampouco sussurre como se estivesse num confessionário.

5

7) Evite cantar no pós-coito a não ser que tenha certeza de sua afinação e bom gosto musical.

8) Jamais perguntar se foi bom porque é uma prova de que não foi, ou você teria percebido.

9) Nunca conversar, mesmo que ela fale na previsão meteorológica. Nestes casos, beijar não para acendê-la e sim para calá-la.

4

10) Se falhar, não disserte e nem explique. Vista-se com honra e dê um pulo na farmácia mais próxima para comprar Viagra e não ter surpresas em futuras ocasiões.

11) Jamais explicar o significado de sua tatuagem em chinês e nem perguntar o da dela, caso ela tenha.

12) Se ela não disser que é grande, não pergunte e nem deduza daí que é menor que o dos outros.

8

Fotos: Goccie di Passione
Fonte: Diário do Centro do Mundo/ Fabio Hernandez

10